Skip links

Estação Hack do Facebook pretende acelerar startups e capacitar empreendedores brasileiros

Entre tantos países, o Brasil foi escolhido para sediar a Estação Hack – o primeiro centro de inovação do Facebook. Como a página oficial informa: “a iniciativa vai promover a formação de talentos na área de tecnologia, capacitar empreendedores e acelerar startups de alto impacto social”.

A Estação Hack será inaugurada até o final desse ano, e tem uma localização privilegiada. Em plena Avenida Paulista, ocupará um andar do WeWork, com três salas de aulas de 40 lugares e 52 estações de trabalhos para startups.

Incluindo a própria WeWork como parceira, que cuidará do gerenciamento da operação, outras seis instituições devem oferecer capacitações no local.

No total são 7.400 bolsas distribuídas em cursos, workshops e programas de aceleração para as áreas de inovação, tecnologia, marketing digital e empreendedorismo; e fazem parte de programas do próprio Facebook, como o Impulsione Seu Negócio e #ElaFazHistória.

Capacitação e aceleração para empreendedores

Seguindo a tendência do mercado, serão disponibilizadas 2 mil bolsas para pequenos e médios empreendedores que têm interesse em Marketing Digital. Fora os workshops, ministrados por instituições, como a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O programa de aceleração da Artemisia instruíra empreendedores a inovarem no modelo de negócio e conseguirem investimento. Contarão também com uma infraestrutura de operação completa. Para se inscrever no programa, a startup deve ser dedicada a projetos com alto impacto social.

Estação Hack abre oportunidades para jovens de classe baixa

Jovens e adolescentes poderão se beneficiar com os cursos de programação, oferecidos pela parceria com a MasterTech e MadCode, e o Acampamento de Inovação. Além disso, alunos que cursam ensino médio na rede pública podem se inscrever nos workshops preparatórios para o mercado de trabalho.

Além disso, as empresas parceiras do Facebook ficarão responsáveis em selecionar candidatos para as vagas de treinamentos. Priorizando a faixa etária próxima dos 20 anos e dando preferência a jovens menos favorecidos.

Gostou da iniciativa Estação Hack? Deixe seu comentário!